Pesquisar este blog

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Pre.con.cei.to

sm (pre+conceito) 1 Conceito ou opinião formados antes de ter os conhecimentos adequados. 2 Opinião ou sentimento desfavorável, concebido antecipadamente ou independente de experiência ou razão.


Era o dia da entrevista de emprego. E quando caminhava distraído até o ponto de ônibus, surgiu aquele homem estranho. Percebi que ele olhava para meu braço. Na verdade olhava para a falta dele. “Ausência congênita do antebraço e da mão” é como é classificado esse tipo de coisa. O homem se aproximou.
- Você nasceu assim? – perguntou.
- Sim.
E depois de pensar um pouco:
- A natureza é foda mesmo!...
Comecei a gargalhar. As pessoas me olhavam como se fosse um louco. Mas como não rir diante de explicação tão sagaz como a do homem estranho.
Pouco tempo depois o ônibus chegou. Lotado como de costume. Uma mulher que ocupava um dos primeiros acentos olhou para mim, olhou para minha ausência congênita, e se levantou.
- Senta – disse ela.
- Não, obrigado.
- Pode sentar.
- Não, não precisa. Obrigado.
- Eu já vou descer, pode sentar.
E então acabei aceitando apenas para que ela se sentisse orgulhosa com sua boa ação do dia. Fico puto com pessoas que julgam que estou com dificuldade e querem fazer as coisas por mim. Nasci sem um braço, não sem uma boca, se precisar de ajuda eu falo.
Cheguei para a entrevista de emprego atrasado. Mas para a empresa o importante era ter ido. Necessitando urgentemente de funcionários com “necessidades especiais” para suprir sua cota, não exigiam muito dos candidatos.
- Olá, pode se sentar. Meu nome é Gabriela. Você é o Lucas, certo?
- Sim.
- Bom Lucas, você já viu as informações sobre salário, carga horária, tudo isso em nosso anúncio, certo?
- Já.
- Que bom. Então a gente te chamou aqui para te conhecer melhor, tudo bem?
- Tudo.
- Então me fala um pouco sobre você?
Existe pergunta mais objetiva que essa? Vou começar a falar sobre minha micose nas costas pra ver se ela gosta.
- Tenho 20 anos... Moro com meus pais...
- Tem irmãos?
- Sim.
- E eles são normais?
Não. Eles voam.
- Sim, são normais.
- Certo... E sobre a sua deficiência, foi acidente?
Por que será que todo mundo pergunta se foi acidente? Já não basta não ter minha mão esquerda, eu tenho que tê-la perdido de forma trágica?
- Não. Eu nasci assim mesmo.
- E você tem alguma dificuldade, não consegue fazer alguma coisa?
- Sempre me acostumei a fazer tudo só com uma mão.
- Certo. Você também escreve com a mão direita?
Não, eu sou canhoto!
- Sim.
A entrevista continuou por mais alguns minutos. No fim eu não fiquei 100% satisfeito com a oferta, e acho que a entrevistadora também não gostou muito de mim. Mas aceitei o emprego mesmo assim. Eu finjo que sou o portador de “necessidades especiais” que eles esperam, e eles fingem que eu não estou ali só por ser aleijado.
Na volta para casa, no ponto de ônibus, um senhor resolve puxar conversa.
- Foi acidente?
De novo isso?
- Não, nasci assim.
- Sabe, tem um filho de uma prima que tem um problema parecido, ele...
Sempre tem alguém, que conhece alguém que tem algum problema parecido. E acham que isso lhes permite a intimidade.
- Tem tanta gente que tem dois braços, duas pernas, e não quer saber de trabalhar.
Bom pra eles.
- E você faz de tudo, né? Imagina se tivesse duas mãos?
Faria as mesmas coisas.
- Todo mundo reclama da vida, mas tem coisa muito pior, né?
Coitado de mim...
- Mas é a vida, né? Fazer o quê?
E pensando bem, aquele homem estranho estava certo. A "natureza" é foda mesmo!...

6 comentários:

  1. O preconceito é pior do que qualquer coisa no mundo.É por conta do preconceito que o mundo está assim.Eu sou anti-preconceito!!!!!!!! Seja ele qual for (contra o pobre,o gordinho,o narigudo ou homossexual)Devemos aprender a respeitar e conviver com as diferenças! beijosss

    eu tbm escrevooo

    www.ameninax.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. adorei o teu modo de escrever, vc consegue levar o leitor para dentro da história, mesmo não tendo a mão esquerda e sendo canhoto! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    adoreiiii!!!!!
    to seguindo e desejando sucesso!
    xeru

    ResponderExcluir
  3. rsrsrs!
    isso é realmente interessante, as vezes as pessoas que chegam com os comentários aparentemente mais abusurdos, são na verdade os mais relevantes!

    ótimo texto!

    ResponderExcluir
  4. bacana

    e tem horas que a gente diz "não da pra fazer isso, tu acha que eu tenho quatro mãos?"; e tem gente que tem uma mão só e faz bem melhor

    belas palavras
    abraços

    ResponderExcluir