Pesquisar este blog

quarta-feira, 25 de março de 2009

O meu erro

As vezes pedimos tantas coisas
Você termina vendo que essas coisas
Podem ser resumidas em uma só palavra
Amor...
Não quero saber se é certo ou errado
Só quero é ter você
Vejo os seus olhos, procuro saber se estou nos seus pensamentos
Lembro dos momentos que você me fez sofrer
Mas vejo que amo de mais você
O mundo é pequeno diante de nós, você me fez crer
Dizemos um ao outro que vamos ficar juntos para sempre
Se eu pensar esse sempre sem você me causa lamentos
Me sinto tão bem em seus braços
Quando você me acaricia com sua mão
Vejo nós dois caminhando pela areia
Quando faço algo errado você vem com o seu sermão
Adoro o seu cabelo... A sua boca e assim fazemos laços
De ternura, cumplicidade, amizade
Se é pra morrer um dia
Quero morrer amando
De preferência a mesma pessoa
Não é fácil conquistar a mesma pessoa a cada dia
Também não é impossível, o amor ajuda
Quero ter você nos meus sonhos e assim ir sonhando
Eu já disse que dizem que você é um erro na minha vida
Eu digo que você é o mais bonito erro da minha vida
Repetiria esse erro mil vezes para ficar ao seu lado
Meio calado, beijo selado
Te amo
Te amo
Te amo
Muitos não tem a oportunidade de encontrar um amor
Alguns encontram e não lutam por ele
Você me pergunta se eu tenho medo
Respondo que as tempestades ao seu lado é dia ensolarado
Então vem vamos nos beijar
E comemorar o meu erro.

sexta-feira, 6 de março de 2009

A família do Marvin

Numa sala de aula ocorre uma reunião.
-Quem são os pais de Marvin?
Dois homens levantam a mão.
-Nós somos os pais de Marvin, este é o meu marido.
No dia seguinte notei tudo diferente, as pessoas me olhavam diferente.
-Bom dia classe. Marvin vai para a sala da diretora.
-Por quê?
-Porque sim.
Me chamo Marvin, tenho 11 anos, estou na quinta série, meus pais são Igor Bittecourt e Flávio Figueira. Meu pai biológico, Igor, decidiu se mudar para Argolinha, uma cidade pequena e pacata, mas por causa da chegada dessa mais nova família foi abalada.
-Já em casa filho. -Flávio.
Pai Flávio era artista plástico, escultor.
-O que foi?
-A diretora pediu para eu voltar para casa.
-Mas pago a mensalidade da escola bpara você ficar lá.
-Ouvir piadinhas, como o filho do casal anormal.
Meu pai Igor foi procurar emprego, ele é Consultor de vendas.
-Qual a sua opção sexual?
-Por que essa pergunta? Eu não entendo onde vai interferir minha opção sexual no meu trabalho.
-Tem pessoas que querem ser uma coisa que não foram feitas pra isso. Imagine que você faz bolos e alguns desses bolos sairam com anormalias. O que você faz com esses bolos? os afastam dos bolos perfeitos e elimina a forma defeituosa, para não produzir mais esses bolos.
-Eu entendi onde o senhor quer chegar, com licença. -Se retira.
A professora saiu da sala para atender a mãe de um aluno.
-É incabível o meu filho conviver com esse menino que convive numa pouca vergonha.
-Mas é bomo seu filho saber que existe diversidade.
-Diversidade, sei lá o que esses pais ensinam a esse menino, depois espalha essa tal de liberdade sexual na cabeça dessas crianças. Por isso que o mundo está cheio desses anormais.
Gostava da companhia de Maria Lúcia.
-Eu não posso ir com voc~e.
-Por quê?
-os meus pais disseram que voc~e não é uma boa companhia pra mim, por causa dos seus pais, que não é certo dois homens viverem juntos.
-eu não concordo. Se eu me apaixonar por um homem um dia, eu vou deixar de viver esse amor porque alguns não vêem isso com bons olhos? Não, eu vou viver esse amor. -Se retira.
Meu aniversário tinha chegado, mas ninguém apareceu. o meu pai Igor me olhou, eu estava desapontado, subi e me tranquei no quarto.
-Marvin! -Era uma voz vindo lá de fora.
Abrir a janela, era Maria Lácia.
-Parabéns.
Eu sorrir.
Meus pais no súpermercado, Flávio olha um rapaz que passa.
-O que é isso? Não pode olhar pra ninguém a não ser pra mim. -Pai Igor coloca as mãos no rosto de Flávio e sorrir.
-Mas só tenho olhos pra você, ficaria horas perdido no tempo olhando para o seu rosto, sei cada parte dele, pois quando o olho você me desperta o que há de melhor em mim.
-Que descaramento. -Uma senhora.
_O quê? -Igor.
-Desavergonhados.
-Se é descaramento amar, pois amo. Então sou com muito orgulho descarado.
-Igor chega.
-Essa senhora que começou. -Se retiram
Na cama.
-Hoje faz 3 anos que te conheci. -Igor.
Igor olha para Flávio.
-Me lembro de cada detalhe daquele dia, a roupa que você usava, o seu sorriso, aquela linda manhã de setembro. O seu cavanhaque cafona. -sorrir-Eu disse pra mim mesmo que você seria meu um dia.
-Me lembro também daquele dia, quando te vi, eu me perguntei porque aquele homem bonito olha pra mim, um sujeito tão simples, ali naquele dia, eu tive a certeza que encontrei o homem da minha vida.
Entra eu e deito entre os meus dois pais, meu pai Igor me abraça e alisa o rosto de Flávio.
-Eu já disse que os amo muito?
-Se disse, é sempre bom repetir não é Marvin?
-Os amo muito.
Eu indo para a escola, vejo Felipe que não fala comigo.
-O que foi? Por que não fala comigo? Éramos tão amigos
-Minha mãe proibiu de conversar com você. Mas quero continuar conversando com você.
-E por que não conversa?
-Os seus pais, eles são diferentes.
Nesse mesmo dia dei o meu primeiro beijo.
-Desculpa.
-Por quê?
-Por não ter compreendido os seus pais.
Pai Igor contou logo a novidade a pai Flávio.
-A chama pra jantar aqui em casa. Faço minha melhor receita, bacalhau.
No dia seguinte ela foi almoçar em casa.
-Gosta mesmo do meu filho?
-Muito.
-Então gostarei de você muito.
Que pena que também não poderei jantar na casa dela, os pais dela não concordaram com o namoro.
No colégio, eu estava entrando no colégio e vinha atrás o carro trazendo Felipe.
-Bom dia Marvin. –Felipe coloca a cabeça pra fora do carro.
-Bom dia.
-Eu já disse pra você não falar comesse menino. –A mãe de Felipe.
-Eu não tenho nada haver com a vida dos pais de Marvin levam ou deixam de levar, só me interessa que ele é é o meu amigo, é legal e me faz bem. –se retira do carro e foi falar comigo.
No final do dia, minha casa recebe a visita da professora.
-Marvin tem recebido notas baixas, tem se comportado diferente. E certos colegas dele o isolaram quando souberam a história dos pais dele. Eu recomendo que vocês voltem pra cidade, a cidade grande é mais condescendente em relação a certas opções de vida.
-Você acha que eu não sofro por ver o meu filho sofrendo? Eu sofro muito, pois sei que o problema dessa gente não é com ele, é comigo. Violência e preconceito existe em qualquer lugar, não é justo que eu tenha que me mudar por causa de uma ou duas dúzias de pessoas. Eles não pagam minhas contas . Não devo nada a eles e nem a justiça. Eles não tem nada haver se amo ou deixo de amar um homem. Só devo satisfação aos meus pais e ao meu filho.
No fim de semana meus pais me levaram para pescar, enquanto estava feliz com o meu primeiro peixe, eles conversavam.
-Como queria que os meus pais fossem como os seus, compreendessem a minha opção sexual. Meus tios diziam que eu tinha problema, todos os meus amigos namoravam, menos eu. Mas vi que o problema não era comigo, era com eles que não compreendiam o meu modo de ser. –Igor.
-Minha mãe falou uma vez uma coisa que me emocionou muito. Que o fato de eu ser gay ela não deixaria de ser minha mãe como um passe de mágica, e era por esse fato que ela disse que não poderia deixar de me amar.
Meus pais me levaram a uma festa de uns amigos deles.
-Não vou cantar hoje, vou ler uma poesia de Carlos Drumond de Andrade, o amor segundo Drumond. –Uma moça. –Quando encontrar alguém e esse alguém fizer o seu coração parar de funcionar por alguns segundos, presta atenção:
- Pode ser a pessoa mais importante da sua vida!

Se os olhares se cruzarem e, neste momento, houver o mesmo brilho intenso entre eles, fica alerta:
- Pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que você nasceu!

Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos se encherem de água nesse momento, perceba:
- Existe algo mágico entre vocês.

Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça:
- Deus te mandou um presente divino: O AMOR!

Se um dia tiver que pedir perdão um ao outro por algum motivo e, em troca, receber um abraço, um sorriso, um afago nos cabelos e os gestos valerem mais que mil palavras, entregue-se:
- Vocês foram feitos um para o outro!

Se por algum motivo estiver triste, se a vida te deu uma rasteira e a outra pessoa sofrer o seusofrimento, chorar as suas lágrimas e enxugá-las com ternura:
- Você poderá contar com ela em qualquer momento da sua vida!

Se você conseguir, em pensamento, sentir o cheiro da pessoa como se ela estivesse ali do seu lado...
Se você achar a pessoa maravilhosamente linda, mesmo ela estando de pijama velho, chinelos de dedo e cabelos emaranhados...
Se você não conseguir trabalhar direito o dia todo, ansioso pelo encontro que está marcado para a noite...
Se você não conseguir imaginar, de maneira nenhuma, um futuro sem a pessoa ao seu lado...
Se você tiver a certeza que vai ver a outra envelhecendo...e, mesmo assim, tiver a convicção que vai continuar sendo louco por ela...
Se preferir morrer, antes de a ver partindo:
- É o Amor que chegou na sua vida!

Muitas pessoas apaixonam-se muitas vezes na vida, mas poucas amam ou encontram um amor verdadeiro.
Às vezes encontram e, por não prestarem atenção nesses sinais, deixam o amor passar, sem deixá-lo acontecer verdadeiramente. É o livre-arbítrio.
Por isso, presta atenção aos sinais.
Não deixe que as loucuras do dia-a-dia te deixem cego para a melhor coisa da vida: - O AMOR!!


Veio a festa da formatura da turma , a chegada da vez do meu nome se aproximava, olhei para os meus pais.
.....................................................................................
Marvin sentado na escada, senta ao lado Igor.
-Filho, ta na hora de você saber uma coisa, eu não quero que você saiba isso por terceiros , até de uma forma distorcida. Eu amei a sua mãe um dia, e não foi a toa que eu o tive, mas acabou e agradeço por ela ser minha amiga hoje. O seu pai tem um namorado, e eu o amo muito, como amo muito você também, e eu pretendo passar o resto da minha vida com ele.
.....................................................................................
A mãe de Marvin morre num acidente de carro, onde também estava Igor.
Marvin no hospital, ver Flávio sentado num banco chorando.
-É você o namorado do papai?
-Sim, sou eu.
Marvin o abraça.
-Papai vai sair dessa não é?
-Vai meu anjo... Vai.
.....................................................................................
-Marvin Bittecourt.
Eu subo no palco.
-Antes de começar o meu discurso, quero ler o conceito de família que achei em um dicionário: Pessoas aparentadas que vivem em geral, na mesma casa. Não diz se deve ser obrigatoriamente formada por um pai e mãe, ou um pai sozinho ou uma mãe sozinha ou dois pais ou duas mães. A minha família tem brigas, dá risada, chora, se reúne pra assistir televisão, os eus membros se amam muito, tem contas pra pagar no final do mês. Enfim é uma família como qualquer outra.
-Isso é uma imoralidade. –Uma senhora se levanta e se retira.
-Imoral é alguém roubar uma vida de uma pessoa, mentir, pegar uma coisa que não lhe pertence. Isso aprendi com os meus pais, tudo que sou devo a eles. E posso garantir que sou muito feliz . Sei que não vou mudar o mundo, também não planejo isso, quando eu nasci ele já existia. E não me envergonho em ter dois pais. Por que me envergonharia de duas pessoas que só me deram amor. – chorando abraço os meus pais.
Um homem se levanta e bate palmas e todos os outros depois seguem o exemplo.
Continuei jogando futebol com meus dois pais nas tardes de domingo e a parte que eu mais gosto de casa é o retrato da minha família na estante.