Pesquisar este blog

sábado, 30 de maio de 2009

Rota 21 -Capítulo 1

Buenos Aires- 01 de fevereiro de 2009;10:00


-Jóia belíssima usted está interessado?
-La madre gustaria mucho - O homem que acompanha o outro.
-Olha, de que são as jóias?
-Minha nossa! – Uma moça loira se aproxima.
-Queres ver?
-Diamantes, és cara?
-No
-Quanto custa?
-2000 dólares.
-Cheque?
-Si
-Gracias. –Se retira.
-Também gusta.
O vendedor chega em sua casa e aparece a moça loira que tira a peruca, mostrando os seus cabelos castanhos encaracolados.
-Pagou quanto?
-30 mil em cash
Ela depois foi vender as jóias verdadeiras.
-Quanto avalibla?
-10000
-Mucho pouco, valem muy más.
-Só es istto.
-Vamo hablar um pouquito , diamante puro.- Ela morde a jóia.
Ela chega em casa e guarda o dinheiro num fundo falso de uma parede.Toca a campainha ela abre a porta, entra um senhor com outros homens.
-O que há? Donde isto?
-Quem é querida?
-Carolinae Paulo Bastos. Sérgio de Melo Trindade. –Oferece a mão, mas Paulo não dá a mão.
Paulo ver que os homens estão armados.
-Não conheço vocês.
-Mas eu conheço vocês, ladrões e falsificadores de jóias. – Ele mostra as fotos deles agindo. – Carolina era casada conheceu Paulo, um jovem de má índole digamos.ela mata o marido e foge com o amante e fogem do Brasil e passam a dar golpes como esse por toda a América Latina.
-Está bem, sei agora que é bem informado sobre a gente.O que quer de nós?
-Vocês ganham quanto?50 mil?
-Fale logo o que o trouxe aqui.
-Vim propor um negócio.Sou traficante de drogas, mas especificamente de cocaína.Vocês receberiam cada um dez milhões de dólares.
-O teríamos que fazer?- Pergunta Carolina.
-Entrar com dez quilos de cocaína nos Estados Unidos.
-Isso é impossível.
-Já tenho um plano à altura da ousadia.
Uma moça de cabelos castanhos claro longo,branca, alta, entra em casa, ela vê a mãe dormindo no sofá, ela abre um vaso, onde ela guarda dinheiro, esta está vazia.
-Mãe! Acorda mãe. – Ela chorando, balançando a mãe.
-Filha.
-Onde está o dinheiro? O dinheiro sumiu.
-Entra o pai bêbado.
-Foi o senhor que pegou.
-foi eu que dei.Desculpa filha, era para o seu pai, eu pago.- a mãe.
-Como? A senhora está desempregada. Com costura? As remendas que a senhora faz?Eu que sustento essa casa!Se dependêssemos da aposentadoria do meu pai, estaríamos passando fome nessa casa.Ela se retira.
No dia seguinte foi trabalhar.Trabalhava numa loja de antiguidades.
-O meu salário está atrasado há duas semanas.
-Vou te pagar com o quê? Há dias que não sai uma venda.Poderia até lhe demitir.
-Antes teria que pagar os meus direito!
-Assinou algum contrato? Sua carteira está assinada?Não, então volte para trás do balcão, onde é o seu lugar.- Se retira.
Ela volta para o balcão, pegava o trabalho as sete da manhã e só largava as dez da noite.
Ela arruma as coisas, já vai fechar, ouvi um barulho vindo da sala do patrão.
Ela ver ele contando muito dinheiro, por a porta está entre aberta.
Ela volta ao balcão, folheia uma revista, ver os artistas nas festas, fotos da praia de Copacabana.
-Ainada vou está aqui.
Entra um homem gordinho na loja, ela guarda rapidamente a revista.
-O que gostaria? Temos essa urna, e essa porta jóias, ou esse tapete legítimo persa.
-boa noite.
-Ai, desculpa. Boa noite.
-Não quero nada.
-Não entendi... Tem um relógio de bolso da década de 20.
-Está interessada em ganhar muito dinheiro?
-Quem não está.
-Dez milhões.
-Não tem haver com prostituição não né?
-Não, você só vai levar uma coisa para um outro país.
-Você pode vim amanhã aqui?Aí eu te dou a resposta.
-Está bem. Tchau, boa noite.
-Boa noite.
Ela chega em casa, toma um banho.
-O dono da casa disse se não pagarmos o aluguel, vai nos despejar filha. – A mãe.
-Mas eu dei o dinheiro... Para papai.
Ela vai até o quarto do pai.
-Acorda seu alcoólatra.
-O que foi?
-Irresponsável! Gastou o dinheiro do aluguel com bebida.
-Olha como fala com seu pai.
-Vai dá lição de moral, o senhor não é uma boa imagem de seguimento para ninguém. –O pai dá um tapa nela.
-Nunca mais suas mãos sujas tocam em mim. - Se retira.
No dia seguinte ela parte com o homem.
-Qual o seu nome?
-Roliço.
Isso não é nome.
-é bom você não saber o meu nome. O seu nome é Maria Clara.- coloca a mão dele na coxa dela.
-Tire suas mãos de mim.- Ela retira as mãos dele.
Modelos estão desfilando.Uma senhora de cabelos castanhos curto, deixando a nuca a mostra, de olhos azuis, é a dona da grife.
Chega uma modelo com um pacote de cocaína na mão.
-Como as senhoras estão vendo, droga da melhor qualidade, pura e colombiana.- Ela abre o pacote.- Sintam a qualidade.
Aproximam-se as senhoras.
-Quanto é o pacote?- Pergunta uma senhora idosa.
_Eu não vendo quatro quilos Dona Margareth para não ter concorrência. – Ri.
Chega em casa, abre um cofre e guarda o dinheiro.
-Como foi o desfile querida?- Sérgio de Melo Trindade.
-Ótimo, preciso de mais daquelas peças, a alta sociedade carioca acabou com o meu estoque.
Uma menina de 14 anos, chamada Pérola , está no colégio, passa por um menino e esse passa um pequeno embrulho para ela.Chega em casa.
-Uns colegas vão vim aqui para fazer um trabalho ta mãe.
-Certo filha. Seu pai ligou pedindo para você passar o próximo fim de semana com ele.
-Você disse o quê?
-Na briga da guarda, ele ganhou o direito fazer o quê.
À tarde chegam os colegas.
-Regininha, Fabrício, Tuca.Entrem.
Eles entram.
-Mamãe.
-Querem um refrigerante?
-Não precisa dona.
-Não incomode não mãe, por favor.
Eles no quarto, antes de fazerem o trabalho, estavam queimando pedra de crack.
Sérgio está numa piscina fumando um charuto; aparece uma moça ruiva tingida dançando, rebolando.Coloca o dedo na boca, senta-se e abre as pernas, ri.Passa a mão dela pelo seu próprio corpo.Ela tira o sutiã, ele coloca dinheiro dentro da calcinha dela, ela deita na beira da piscina.Ele passa a mão pelo corpo dela, a beija.
Ela tira a calcinha e entra na piscina. Ele a penetra com força, puxa o cabelo dela e lambe o rosto dela, ela desce e ele abre a boca.
-Safadinha. Você faz bem isso.
-Ela volta a superfície e limpa a boca.
-Para de falar e me coma porra.
Ela na beira da piscina de roupão, chega ele e lhe entrega o dinheiro.
-Gostaria de sair dessa vida?
-Chega uma época que você não acredita mais em príncipe encantado, eu puta não princesa querido.
-Eu não estou lhe propondo casamento.
-Sei, amante, exclusividade.
-Não, dez milhões.
-Dez milhões –Ri- Com esse dinheiro eu dou até pra mendigo.
-É sério. Está interessada?
-Eco. Aprendi isso com cliente italiano amore.
Robson está saindo da cadeia, 10 anos pagando pelo assassinato do irmão.Começa a chover, chora.Para um carro na frente dele.Abre a porta Sérgio.
-Entra.
-Quem é você?
-Eu sei que você é usuário de cocaína, com o dinheiro que eu posso te dar, você vai poder comprar toda cocaína do mundo.
-Não estou a fim.
-Espera. Não me diga que deixou de ser viciado na cadeia.
-Eu acabei com a minha vida e a de muitos outros, agora eu só quero é lenhar com o meu nariz e deixar de fora pessoas que não tem nada haver com o meu vício. - Se retira.
-Vamos para o plano B.
Robson era de estatura média, cabelos cortados na máquina dois, olhos amelados, com uma tatuagem no braço.
Ele foi para a casa do seu amante que ele conheceu na cadeia, um travesti, Priscila.
Entra na casa e ver Sérgio com uma arma apontada p ara a cabeça de Priscila, Priscila chorando.
-Oi Robson.
-Largue ela.
-Ela vai comigo, só para ter a certeza que você vai cumprir o combinado.
-Eu cumpro, mas solte-a.
-acha que eu sou idiota, levem-na.- Ele a joga para os seus homens.
-O que quer de mim?Eu não o conheço.
Um médico pega uns medicamentos escondido e guarda no bolso do jaleco.Volta para a sua sala, joga o pó da cocaína na mesa, cheira.batem na porta, ele retira o pó da mesa.
-Entre.
-O senhor Pascoal esta aí.
-Pode mandá-lo entrar.
Pascoal entra.
-Bom dia Doutor.Conseguiu?
-Aqui. -Entrega e Pascoal lhe dá o dinheiro.
-O senhor está bem?
-É só insônia.
Ele chega em casa, ver uma foto dele com uma jovem loira muito bonita, ele começa a chorar, ele cai no chão, ele grita, deita no chão, se encolhe todo, pega o celular, procura um número.
-Alõ, Dr, André Luís, eu preciso do pacote, eu estou sem dinheiro agora, estou sem nada...não desliga.- Ele joga o celular longe ainda deitado.
Numa Igreja Evangélica, um pastor negro de barba e que usa óculos, ministra o culto, tem 39 anos.Acaba o culto e se aproxima Sérgio.
-Quem diria que um ex-traficante se tornaria pastor.
-Eu já cumprir a minha pena.
-Você está com uma filha doente, proponho um negócio.
-Que tipo de negócio?
-Te dou o dinheiro para você curar a sua filha no melhor hospital do país, contanto que você volte a ativa, mas não mais com heroína e sim cocaína.
-Não.Deus vai curar a minha filha.
-Deus não ajuda os seus fiéis se eles não fizerem uma forcinha.
-Eu prometi a mim mesmo nunca mais mexer com droga nenhuma. -Se retira.
-Eu sou paciente Rafael.

2 comentários:

  1. No cara mto bom seu blog
    curti msm
    parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Legal o incentivo a leitura! Parabens!!

    http://jokers.mimhospeda.com/

    ResponderExcluir