Pesquisar este blog

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

O mestre -Capítulo 5.

Ana e Pedro foram a uma festa de aniversário de uma filha de uma amiga de Ana.
-Ana.
-Patrícia. -se beijam no rosto.
-Que bom que você veio.
-Rebeca.
Se aproxima a menina.
-Aqui o seu presente. -Ana entrega a menina.
-Obrigada.
-Com licença vou receber uns convidados que acabaram de chegar, fiquem à vontade.
-Toda. - se retira Patrícia e Rebeca.
-Bonita festa.
-Nunca tive festa de 15 anos. -ela com lágrima nos olhos.
-Sabe a viagem a Trancoso, eu pensei em Paris.
-Paris. -ela sorrir.
-Isso.
-Você conseguiu outro emprego?
-Não.
-Então com que dinheiro vamos para Paris e como você pagou aquele jantar?
-É melhor você ir para o banheiro, você borrou a maquiagem.
Foram ao banheiro, ela lava o rosto e refaz a maquiagem e olha uma saboneteira.
-Bonita saboneteira não é Pedro?
-É.
-Penso quando vou ter uma dessa.
-Em breve amor.
Eles voltam para a festa.
-Patrícia bonita saboneteira que você tem no banheiro.
-Eu comprei em uma cidadizinha mineira.Se você quiser eu lhe dou de presente.
-Não, é seu, ficaria mal com isso, fica melhor no seu banheiro.
Eles voltam para casa.
-Vou tomar um banho amor.-ela o beija, sobe a escada e joga a bolsa no sofá, mas esta cai no chão.
Ele pega a bolsa e ver que algo caiu no chão, e ele ver que era a saboneteira que eles viram na casa de Patrícia.Ele guarda na bolsa dela, e coloca a bolsa em cima do sofá.Não poderia ser.Ele sobe as escadas e vai no quarto deles, revira as coisas e ver que há no armário um fundo falso, ele abre e ver vários objetos sem importância, inúteis, bugigangas, como a saboneteira.Ele guardou tudo, era melhor esquecer esse episódio.
Eles tomam café, Ana se retira para dormir.Pedro assiste televisão e lê o jornal.
Ana desce as escadas, joga uma caixa no chão cheia de dinheiro.
-O que significa isso?
-Eu posso explicar. -Pedro levanta-se.
-De onde veio esse dinheiro? Aí tem muito mais que 10 mil.
-O meu chefe me demitiu, entrei no site do banco dele...
-E decidiu roubar? -ela chorando. -Você vai devolver isso!
-Não posso, vou ser preso.
-Por que você fez isso?
-Eu queria me vingar dele. Ele não vai sentir falta de 100 mil, já eu, 100 mil muda a minha vida.
-Não era preciso roubá-lo para você se vingar dele.
-Ana, me perdoe.
-Fica difícil, eu descobrir que me casei com um ladrão. -ela sobe as escadas.
Pedro guarda a caixa, vai para o quarto, tira a roupa e coloca a roupa de dormir.
Ele deita.
Ela vira-se sem falar com ele.
Amanhece, ele acorda e deixa a cama com ela dormindo, tira a roupa e liga o chuveiro, lava o rosto. Se perguntava o que tinha lhe dado naquele dia para ter a coragem de roubar o senhor Dergrinolle. Já estava feito, e não se arrependia, o ex-chefe merecia.
-Pedro. -aparece Ana na porta do banheiro. -Eu pensei melhor, o seu chefe lhe tratava mal, como um cachorro, te pagava bem menos que você merecia..., acho que foi justo você retirou dele o que ele tinha que te dá há muito tempo.
-Que bom amor.
-Você conseguiria fazer isso com o Banco do Brasil?
-Você fala sério?
-Tem nosso dinheiro lá também, que pagamos com impostos.
-Mas não vai ser tão fácil quando roubei o meu ex-chefe.
-Bolamos um plano.
-Mas quanto pegaríamos?
-15 milhões seria o suficiente para um futuro maravilhoso.
-Tentarei bolar o plano.
-Eu te perdôo meu amor. -o beija.

Nenhum comentário:

Postar um comentário